A jornada de um escritor: Cinco exercícios para começar


Oi pessoal! O post de hoje é a tradução de um texto publicado em um blog muito legal, o Writers Write. Esse blog sul-africano é uma espécie de projeto para ajudar e incentivar escritores de todo o mundo. O blog também possui uma página no Facebook que, além de divulgar as colunas e notícias, também compartilha pensamentos e frases de escritores conhecidos e desconhecidos. O texto de hoje é do Anthony Ehlers, que dedica suas colunas principalmente a dar dicas de exercícios de escrita e falar sobre a arte de escrever. O texto original em inglês pode ser lido aqui. Aproveitem as dicas e não esqueçam de deixar comentários e sugestões!

Uma maneira diferente de existir no mundo

Esta manhã, quando acordei para escrever neste blog, eu tinha dor de cabeça. Não me sentia como um escritor. Não me sentia como um ser humano. Servi uma caneca de café quente sem açúcar. Gostei do sabor amargo; isso me fez sentir melhor. Ainda não me sentia como um escritor. Levei meia hora para escrever estas cinquenta palavras. Se você está apenas começando a escrever, às vezes pode ser difícil se sentir como se tivesse um escritor em seu interior, ainda mais difícil dizer aos outros. Se você estiver em uma festa e lhe perguntarem o que você faz, é difícil dizer "eu sou um escritor" - e não se sentir estúpido.


Uma vida secreta

Ser um escritor, requer uma maneira diferente de existir no mundo. O que quero dizer com isso? A jornada de cada escritor é diferente. Alguns começam a escrever cedo, ainda crianças, enquanto outros encontram o caminho para escrever mais tarde. Mas todos nós temos uma sensação de deslocamento – excluídos, rejeitados, rebeldes ou apenas tímidos, todos com este desejo problemático em nosso interior. Temos um segredo. Queremos inventar histórias. Queremos contar a nossa história. Queremos ser escritores.


Tomando notas

Como escritores, nosso trabalho não é colocar palavras em uma página. Isso talvez possa chocá-lo, mas talvez eu deva dizer - não é nosso único trabalho. O melhor conselho que posso dar como um jovem escritor é para prestar atenção ao mundo ao seu redor. Desligue as luzes e a música, e ouça a chuva. Tente descobrir por que você está fascinado com a cor dos olhos de alguém ou com os padrões em seus cobertores. Ouça mais do que fala quando está em uma festa. As pessoas normais têm álbuns de recortes ou álbuns de fotos em seus telefones.

Escritores não. Os escritores têm cadernos nos cantos escondidos de suas mentes. Estamos gravando tudo o que vemos - e talvez sintamos isso como uma traição ao mundo à nossa volta; ou ao menos como uma fantasia infantil.


Partindo para a ação

Quando você começa uma frase ou uma descrição no papel que captura - em palavras o que você viu, sentiu, ouviu ou tinha esquecido há muito tempo - você percebe que está escrevendo. Escrever de repente faz sentido. Torna-se viciante. Você começa a ver um propósito nisso. Se isso ainda não aconteceu com você, confie em mim, vai acontecer. Você apenas tem que olhar para o mundo como um estranho, um visitante, um anjo sem planos. E talvez essa seja a parte assustadora - colocar a caneta no papel ou abrir seu laptop e começar a transformar as formas vagas em sua imaginação em letras duras e claras.

Minha dor de cabeça passou agora. Ainda não me sinto como um escritor. Ainda não disse o que realmente queria dizer a escritores começando sua jornada. Deixe-me dizer isto - a escrita é solitária. É o tipo de solidão que você vai aprender a amar e manter para si mesmo. Meu melhor conselho é este: encontre tempo para estar sozinho, não para escrever, mas simplesmente estar sozinho e presente em um momento.


Cinco exercícios para começar em sua jornada de escritor:

1.Vá a uma biblioteca ou a um parque, olhe para os livros e estátuas – não tome notas, só se maravilhe e observe.

2. Escreva sobre sua mesa favorita quando criança – quem estava ao redor dela? De quais cheiros você lembra? Cores?

3. Tente descrever o som da sua voz favorita em uma página – pode ser do seu amor, seu melhor amigo, um professor de anos atrás.

4. Grave sua própria voz quando você acordar e depois à noite. Escute novamente. De que forma sua voz mudou de uma gravação para outra?

5. Escreva uma carta para o seu livro favorito. Conte a ele por que você o ama tanto. Não a enderece ao autor, mas ao próprio livro.


Tradução: Michele de Oliveira





5 comentários:

  1. Oii, tudo bom?
    Amei o post, super criativo. Já iniciei alguns livros quando era mais nova, mas acabava abandonando as histórias, enjoava delas iausiauisuiaus
    Um beijo.
    Garota do Livro

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você gostou do post, Katrine! Não desiste de escrever, não! Se você enjoa das histórias, tenta escrever algo mais curto, como contos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Dicas bem interessantes, principalmente a cinco. Essa eu vou colocar em prática hoje mesmo.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de maio. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Michele.

    Post super interessante esse que você fez/traduziu. Para as pessoas que querem começar a escrever super útil.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books

    ResponderExcluir
  5. Oi Paula!
    Que bom que você gostou do post! Decidi traduzir porque tem umas dicas bem legais mesmo.
    Obrigada pelo comentário!

    Beijos!

    ResponderExcluir

Bem-vindos ao Mundo Mágico dos Livros!